quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Ao infinito.


Olha, eu confesso! Não sou uma das pessoas mais positivas que já conheci  aliás nem sei em que posição eu estaria. Se por acaso um dia eu tiver que dizer me colocaria como uma pessoa feliz, eu já engoli tantas coisas que eu poderia simplesmente ter desabado e ali mesmo ficas. Mas eu sempre junto os caquinhos e ali estou eu, firme e pronta pra mais um confronto de pensamentos e uma batalha de sentimentos. Eu sempre tive um lado positivo, que aparece quando ele quer, mas a realidade sempre me assombra. Não sou contra sonhar, até porque sou totalmente suspeita. Sou daquela que sonha alto pra que o pouco que eu for conquistando eu já possa me considerar uma vencedora. É um plano de de me auto magoar menos, e fingir que não vejo os remendos no coração quando me olho no espelho, me sentir guerreira por cada coisinha que eu mesma tenha conseguido da forma que seja.

Encontrar coisas simples que me façam feliz, apesar do tempo que dure me faz acreditar que eu sempre vou encontrar uma esperança por ai, no meio do caminho. Eu sempre levo isso, mas não está anotado na minha agenda e se pudesse guardaria bem lá no fundo da mochila, afinal, nem sempre vou poder contar com elas né?
Cada lágrima durante a madrugada, período que eu denominei de período-feito-pra-se-pensar-na-vida-principalmente-em-problemas é na espera da próxima coisa que vai vir pra me fazer fugir desse cotidiano maldito que me deixa cada vez mais longe dos meus sonhos de criança de me tornar uma princesa.  Lembrando aqui, que ainda não descartei o príncipe que chega numa noite fria e sombria na qual eu esteja me sentindo sozinha pra me levar daquele lugar num cavalo branco e dali em diante sermos felizes para todo o sempre.

Falando em sempre, eu tenho muita coisa contra essa palavra. Ela nunca me fez bem, infinitos me incomodam– ainda mais quando ele é colocado por ai em qualquer declaração de rede social ou durante a vida monótona de um cidadão qualquer. Nada nunca me fez ter completa certeza que duraria pra sempre, e isso não seria uma tarefa fácil. O único amor que pode ser eterno é o por si mesmo, lembrando que o eterno é enquanto durar, como já dizem alguns infinitos são maiores que os outros.

Infinito pra mim é o tempo no qual aquela certa coisa que pode ser variada te fizer feliz. Aquela paixão durou um ano, um infinito de tempo. As juras não foram verdadeiras mas o pra sempre valeu e pra mim é oque realmente importa. Tantos “Para sempre” eu já ouvi, nenhum deles vi verdade mas fingi que acreditava era inevitável. Amizades são passageiras, e se por acaso um dia você sentir que aquela amizade será ~infinita~ por favor, eu lhe peço, agarre ela com a força do seu melhor e mais verdadeiro abraço!
                                                         
                                           
                                          

0 It Girl Comentaram !: